BLOG

22 de março de 2019

Os ipês têm uma canção peculiar quando o vento atravessa seus galhos e suas folhas, como fosse uma zamponha desafinada; um som esganiçado, rouco, que se parece com um grito abafado de socorro — repetidamente clamado — à procura de um ouvido atento. Eu me lembro, era criança, quando ouvi o grito de um cachorro…