BLOG

20 de março de 2019

Pelo apito, a água do chá está pronta! A infusão de hibisco e hortelã descansa o tempo certo. À mesa, uma xícara para fazer a cerimônia minimalista; na borda do pires, um biscoito amanteigado – doce o suficiente para tirar o desgosto e o gosto do pó da terra. Ouve-se o som da colher a…

20 de março de 2019

Eu procuro um poema entalado entre meus sonhos; triste, o suficiente, alegre, o necessário; tricotado de palavras garimpadas em minas de noites de desespero. Um poema lírico que incomode os entendidos; lúcido, que me incomode. Sem carne, sem sangue; agridoce, para ser engolido feito uma dose de cachaça. Um poema para vestir, não para agasalhar….

20 de março de 2019

Para Betina No dia em que perdeste o teu anel, tu disfarçavas a dor porque esfinge és. Eu te decifrei num milésimo de segundo! Depois, decifrei, antes de ti, que naquele dia outras dores aconteciam ao mesmo tempo: Vi bem-te-vis ressabiados bebendo na poça d’água barrenta e vi as flores amarelas dos ipês caídas no…

20 de março de 2019

Eu não existia antes de você, mesmo eu sendo mais velho. Não existindo, eu não tivera passado. – O tempo necessita da existência para se medir – Aí, fez-se você! Eu pude, enfim, nascer. Nasci olhando para o céu, cofiando o cabelo em ondas, sem choro, sem dor, sem cordão. Lembro bem daquela sensação que…

20 de março de 2019

Dos meus pensamentos, Um só não voa: O dos meus tormentos, Que em minh’alma ecoa.

20 de março de 2019

Por puro mistério, Deus e Seu filho único desceram à Terra numa Sexta-Feira Santa. Queriam seguir a procissão do Cristo Morto. Levaram, como toda a gente presente, uma vela; E, para protegê-la do vento noturno, meteram-na no gargalo de meia garrafa pet vazia. Embrenharam-se no meio dos crentes e, humildemente, repetiram as rezas e os…

20 de março de 2019

Arrastei a cadeira velha – pátina, madeira e palha – com um barulho gemido seco, contínuo e dissonante a inundar os meus ouvidos. Atravessei a sala e o corredor a carregar aquele gemido que não importava a ninguém, nem a mim. Estrategicamente, coloquei-a na varanda – não na sombra, como pedia o conforto, mas donde…

20 de março de 2019

Para Marina What can I do? What can I say? You became a butterfly, now! How long can I still be a wall, Protecting you from the chilly winds? I know, I’ll be here forever Settled in this very foundation, Just waiting for you. Yet I’m not a smile, not here, not this moment. I’m…