A opressão

[contact-form-7 404 "Not Found"]

A opressão


20 de março de 2019

Reescrevo o final de um poema
– porcamente escrito –
porque perdi a fé em happy endings
desde que um menino-bomba se explodiu
em meio a um casamento em Gaziantep.

É novembro neste hemisfério sul,
deveria ser junho!
É quando se espera que meninos
explodam
bombinhas no dia do santo casamenteiro e
transgridam
por soltar balões em noites secas e estreladas.

Arde!,
como uma fogueira de São João.
Desfolho o dia,
me sufoca saber, esta pontada no peito,
que a poesia deixou de existir.

A transparência da água não me comove mais;
ninguém sabe morrer na primeira vez.

Deixe um comentário